Principais Perguntas

O que acontece se eu construir sem Alvará de Construção?

Você será multado pela Prefeitura e pelo CREA. E sua obra será embargada.

Regularizando a sua obra antes do início das construções, elimina o risco de multas e o embargo da obra. Evitando também construir fora da norma e ser obrigado a demolir.
 

"Faça um orçamento com a gente e descubra que um projeto bem elaborado não precisa ser caro!"

Você também pode Fazer seu orçamento online no nosso site: www.agtengenharia.com.br/orçamento/
 

Equipe AGT Engenharia

 

Por quê fazer o projeto estrutural?

    O objetivo do projeto de uma estrutura é permitir que a mesma atenda à sua função primária sem entrar em colapso e sem deformar ou vibrar excessivamente. Dentro destes limites, os quais são precisamente definidos pelas normas técnicas, o engenheiro estrutural almeja o melhor uso dos materiais disponíveis e o menor custo possível de construção e manutenção da estrutura.

    Resumidamente, as principais etapas do projecto estrutural são a criação do esquema estrutural, a definição das cargas ou forças que atuam na estrutura, o cálculo dos esforços e deformações, o dimensionamento das peças estruturais, e finalmente o detalhamento do projecto para execução.

    Você já deve ter ouvido falar "não vou fazer o projeto estrutural por que quero economizar". Essa frase é tão absurda que não vale a pena nem tentar entender sua origem, que é, com certeza, cultural.

    O projeto estrutural sem dúvida fará com que você economize bastante na sua obra, além de garantir que não terão rachaduras, afinal não existe coisa pior que começarem a aparecer rachaduras na sua casa novinha!

 

"Faça um orçamento com a gente e descubra que um projeto bem elaborado não precisa ser caro!"

Você também pode Fazer seu orçamento online no nosso site: www.agtengenharia.com.br/orçamento/

Equipe AGT Engenharia

Por quê fazer projeto hidráulico e sanitário?

    Os projetos hidráulico e sanitário são um dos requisitos na hora de construir ou reformar. "Evitam inúmeros erros na montagem do sistema economizando tempo e dinheiro"

    Prevê a dimensão necessária do sistema hidráulico, garantindo assim um bom funcionamento  por muitos anos. Depois de ter uma base do desenho do imóvel são feitas várias plantas entre elas a “hidráulica” que deve conter todas as especificações da canalização. Guarde bem estes desenhos, pois no futuro eles vão não só ajudar nas soluções, mas também poupar muito dinheiro. A planta geral de instalação hidráulica mostra o conjunto de ramificações do encanamento e os lugares por onde passam estes canos com tamanhos e outros detalhes.

    Se você pretende mudar uma parede, fazer um buraco para uma nova porta, ou simplesmente colocar uma prateleira, ou ainda consertar um vazamento interno de uma parede, você tem de ter em mãos a planta geral de instalação hidráulica e a elétrica, por vários motivos :

- Saber onde realmente passam os canos e quais são.

- Qual é o registro que fechará a agua ou qual a caixa onde se desconecta tal ou tal cômodo…

- Quais as ramificações que ficarão a seco ( banheiros, cozinha, etc.), ou no escuro caso o conserto leve tempo ! e o que isso representa de incomodo para outros …

"Assim você evitará surpresas e prejuízos… "

 

"Faça um orçamento com a gente e descubra que um projeto bem elaborado não precisa ser caro!"

Você também pode Fazer seu orçamento online no nosso site: www.agtengenharia.com.br/orçamento/

Equipe AGT Engenharia

Por quê fazer projeto elétrico?

    Quem já construiu ou reformou uma residência, com certeza já se irritou com o vai e vem nas lojas de material de construção para comprar fios, cabos e eletrodutos. Parece uma romaria sem fim. Você simplesmente não entende porque o seu eletricista não pede tudo de uma vez, ao invés de falar que faltam mais 10 metros de cabo cada vez que você volta com o material que ele acabou de pedir.

    Isso acontece porque em grande parte das vezes, nesse tipo de construção residencial não é feito o projeto de instalações elétricas, uma vez que dependendo da metragem da edificação e da carga na instalação, os órgãos fiscalizadores não pedem este projeto como uma obrigatoriedade para a aprovação e alvará de construção. E como não é obrigatório, economizamos no projeto certo? Errado!

    Ao tentar economizar no projeto elétrico muitas vezes você gasta ainda mais na compra de material e no pagamento da mão de obra. O projeto elétrico serve para indicar exatamente onde estão cada ponto de tomada, iluminação, campainha, tv entre outros que podem ser adicionados à residência.  Na falta dela, a simples locação das tomadas se torna um pesadelo. Além de ser extremamente perigoso, sabe por quê?

    Porque o profissional que realiza o projeto elétrico, além de locar os pontos de iluminação e tomadas, calcula a carga de todos os pontos, dimensionando a fiação e os disjuntores corretamente. Assim, evitamos curtos-circuitos por excesso de eletricidade passando na fiação. Este profissional também vai dimensionar corretamente as tomadas para usos específicos como máquinas de lavar e chuveiros. Afinal não tem coisa mais desagradável do que ficar embaixo do chuveiro frio porque o disjuntor caiu. Ele cai, porque a fiação ou o disjuntor não estão corretamente dimensionados para a corrente elétrica que passa neste ponto.

    Viu como o projeto elétrico é importante? Ele garante uma instalação segura, evita dores de cabeça com quedas de disjuntores e curtos-circuitos que podem provocar incêndios na sua residência.

 

    E voltando à nossa romaria com materiais de construção, quando você tem o projeto elétrico em mãos, tem também a lista de materiais, que mostra com exatidão quantos metros de cabos e eletrodutos sua instação vai precisar, quantas tomadas, de que tipo são, quantos interruptores, enfim, não é necessário esperar que o eletricista quantifique o que vai precisar. Até porque ele é um profissional qualificado para ler, entender e executar o projeto, e quando ele precisa definir a quantidade de material sempre pede uma quantidade e menos. É justamente para que o cliente não gaste com material desnecessário e acabe descontando dos seus honorários. Por isso a corrida nas lojas nunca termina.

 

Além disso, a AGT possui excelentes preços para projetos elétricos, garantindo o melhor custo benefício para você!

 

"Faça um orçamento com a gente e descubra que um projeto bem elaborado não precisa ser caro!"

Você também pode Fazer seu orçamento online no nosso site: www.agtengenharia.com.br/orçamento/

Equipe AGT Engenharia

O que é AVCB e para que serve?

AVCB é o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros.

De acordo com a Lei Estadual nº 14.130/2001 e Decreto Estadual nº 44.746/2008, toda edificação destinada ao uso coletivo deve ser regularizada junto ao Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais CBMMG. Esta regularização visa garantir à população a segurança mínima contra incêndio e pânico nas edificações.

Como forma de certificar a segurança da edificação regularizada, o CBMMG criou o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento emitido após a verificação das medidas de segurança instaladas em conformidade com o Processo de Segurança Contra Incêndio e Pânico (PSCIP).

A partir da Portaria 11/2011, a Instrução Técnica 01 – Procedimentos Administrativos - acrescentou a observância ao risco para as edificações/ ocupações. O risco é determinado a partir da análise da edificação considerando sua área, ocupação e a atividade desenvolvida.

Você também pode Fazer seu orçamento online no nosso site: www.agtengenharia.com.br/orçamento/

Atenciosamente,

Equipe AGT Engenharia e Consultoria

Por quê preciso fazer Sondagem do Terreno?

O conhecimento do tipo de solo é importante para se conhecer o comportamento esperado ao receber as cargas, mas para saber o melhor tipo de fundação é preciso saber:
• Quais são os tipos de solo que estão sob a obra, e a que profundidade;
• Qual é altura do lençol freático;
• Qual é a capacidade de carga do sub-solo, em diversas profundidades;
• Como o solo se comporta ao receber carga.

Para obter estes tipos de informação o teste mais econômico e elucidativo é o ensaio SPT. A partir dele o projetista de fundações poderá solicitar exames mais específicos, caso ache necessário. 

Como é feito?

O ensaio consiste em fazer uma perfuração vertical com diâmetro normal 2,5" (63,5mm). A profundidade varia com o tipo de obra e o tipo de terreno, ficando em geral entre 10 a 20 m. Enquanto não se encontra água, o avanço da perfuração é feita, em geral, com um trado espiral (helicoidal).

O avanço com trado é feito até atingir o nível de água ou então algum material resistente. Daí em diante, a perfuração continua com o uso de trépano e circulação de água, processo denominado de “lavagem”. O trépano é uma ferramenta da largura do furo e com terminação em bisel cortante, usado para desagregar o material do fundo do furo.

O trépano vai sendo cravado no fundo do furo por repetidas quedas da coluna de perfuração (trépano e hastes). O martelo cai de uma altura de 30 cm, e a queda é seguida por um pequeno movimento de rotação, acionado manualmente da superfície, com uma cruzeta acoplada ao topo da coluna de perfuração. Injeta-se água sob pressão pelos canais existentes nas hastes, esta água circula pelo furo arrastando os detritos de perfuração até a superfície. Para evitar o desmoronamento das paredes nas zonas em que o solo apresenta-se pouco coeso é instalado um revestimento metálico de proteção (tubos de revestimento).

A sondagem prossegue assim até a profundidade especificada pelo projetista (que se baseia na norma), ou então até que a percussão atinja material duro como, por exemplo, rocha, matacões, seixos ou cascalhos de diâmetro grande.

Durante a perfuração, a cada metro de avanço é feito um ensaio de cravação do amostrador no fundo do furo, para medir a resistência do solo e coletar amostras. Esse ensaio, denominado ensaio de penetração ou ensaio SPT, é feito com equipamento e procedimento padronizados no mundo todo, para permitir a correlação de seu resultado com a experiência consolidada de muitos estudos feitos no Brasil e no exterior.
 

Amostrador padrão para ensaio SPT
Amostrador padrão para ensaio SPT. A padronização internacional permite comparações entre estudos feitos em diversas parte do mundo.

 

O amostrador é cravado através do impacto de uma massa metálica de 65 kg caindo em queda livre de 75 cm de altura. O resultado do teste SPT será a quantidade de golpes necessários para fazer penetrar os últimos 30 cm do amostrador no fundo do furo. Se o solo for muito mole, anota-se a penetração do amostrador, em centímetros, quando a massa é simplesmente apoiada sobre o ressalto. A medida correspondente à penetração obtida por simples apoio, ou zero golpes, pode ser expressiva em solos moles. Na penetração por batida da massa conta-se o número de golpes aplicados, para cada 15 cm de penetração do amostrador.

As diretrizes para a execução de sondagens são regidas pela NBR 6484, "Execução de Sondagens de simples reconhecimento", a qual recomenda que, em cada teste, deve ser feita a penetração total dos 45 cm do amostrador ou até que a penetração seja inferior a 5 cm para cada 10 golpes sucessivos. A cada ensaio de SPT prossegue-se a perfuração (com o trado ou o trépano) até a profundidade do novo ensaio.

No Brasil, as empresas de sondagem estão adquirindo equipamentos com sistema hidráulico e movidos por motor a combustão, para execução do ensaio SPT, cujo amostrador é cravado no terreno por meio de martelo mecânico.
 

Você também pode Fazer seu orçamento online no nosso site: www.agtengenharia.com.br/orçamento/

 

Atenciosamente,

Equipe AGT Engenharia e Consultoria

 

 

Fórum de Discursões

Tubulão

Gostaria de algumas dicas sobre a execução de tubulão

Re:Tubulão

18.6.20 Na execução de tubulões a céu aberto, aplicam-se as disposições constantes no item 18.20 - Locais confinados.
18.6.20.1 Toda escavação somente pode ser iniciada com a liberação e autorização do Engenheiro responsável pela execução da fundação, atendendo o disposto na NBR 6122:2010 ou alterações posteriores. (Incluído pela Portaria MTE n.º 644, de 9 de maio de 2013)

18.6.21 Os tubulões a céu aberto devem ser encamisados, exceto quando houver projeto elaborado por profissional legalmente habilitado que dispense o encamisamento, devendo atender os seguintes requisitos: (Incluído pela Portaria MTE n.º 644, de 9 de maio de 2013)

a) sondagem ou estudo geotécnico local, para profundidade superior a 3metros;
b) todas as medidas de proteção coletiva e individual exigidas para a atividade devem estar descritas no Programa
de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção - PCMAT, bem como plano de resgate e remoção em caso de acidente, modelo de check list a ser aplicado diariamente, modelo de programa de treinamento destinado aos envolvidos na atividade contendo as atividades operacionais, de resgate e noções de primeiros socorros, com carga horária mínima de 8 horas;
c) as ocorrências e as atividades sequenciais das escavações dos tubulões a céu aberto devem ser registradas diariamente em livro próprio pelo engenheiro responsável;
d) é proibido o trabalho simultâneo em bases alargadas em tubulões adjacentes, sejam estes trabalhos de escavação e/ou de concretagem;
e) é proibida a abertura simultânea de bases tangentes.
f) a escavação manual só pode ser executada acima do nível d'água ou abaixo dele nos casos em que o solo se mantenha estável, sem risco de desmoronamento, e seja possível controlar a água no interior do tubulão.
g) o diâmetro mínimo para escavação de tubulão a céu aberto é de 0,80m.
h) o diâmetro de 0,70m somente poderá ser utilizado com justificativa técnica do Engenheiro responsável pela
fundação.

18.6.22 O equipamento de descida e içamento de trabalhadores e materiais utilizado na execução de tubulões a céu aberto deve ser dotado de sistema de segurança com travamento, atendendo aos seguintes requisitos para a sua operação: (Alterado pela Portaria MTE n.º 644, de 9 de maio de 2013)

a) liberação de serviço em cada etapa (abertura de fuste e alargamento de base) registrado no livro de registro diário de escavação de tubulões a céu aberto;
b) dupla trava de segurança no sarilho, sendo uma de cada lado; c) corda de cabo de fibra sintética que atenda as recomendações do item 18.16 da NR-18, tanto da corda de içamento do balde como do cabo-guia para o trabalhador;
d) corda de sustentação do balde deve ter comprimento para que haja, em qualquer posição de trabalho, no mínimo de 6 (seis) voltas sobre o tambor;
e) gancho com trava de segurança na extremidade da corda do balde;
f) sistema de ventilação por insuflação de ar por duto, captado em local isento de fontes de poluição, e em caso contrário, adotar processo de filtragem do ar;
g) sistema de sarilho fixado no terreno, fabricado em material resistente e com rodapé de 0,20 m em sua base, dimensionado conforme a carga e apoiado com no mínimo 0,50 m de afastamento em relação à borda do tubulão;
h) depositar materiais afastados da borda do tubulão com distância determinada pelo estudo geotécnico;
i) cobertura translúcida tipo tenda, com película ultravioleta, sobre montantes fixados no solo;
j) possuir isolamento de área e placas de advertência;
k) isolar, sinalizar e fechar os poços nos intervalos e no término da jornada de trabalho;
l) impedir o trânsito de veículos nos locais de trabalho;
m) paralisação imediata das atividades de escavação dos tubulões no início de chuvas;
n) utilização de iluminação blindada e a prova de explosão.

Porque fazer o projeto estrutural?

Porque fazer o projeto estrutural?

Re:Porque fazer o projeto estrutural?

O objetivo do projeto de uma estrutura é permitir que a mesma atenda à sua função primária sem entrar em colapso e sem deformar ou vibrar excessivamente. Dentro destes limites, os quais são precisamente definidos pelas normas técnicas, o engenheiro estrutural almeja o melhor uso dos materiais disponíveis e o menor custo possível de construção e manutenção da estrutura.

Resumidamente, as principais etapas do projeto estrutural são a criação do esquema estrutural, a definição das cargas ou forças que atuam na estrutura, o cálculo dos esforços e deformações, o dimensionamento das peças estruturais, e finalmente o detalhamento do projeto para execução.

Você já deve ter ouvido falar "não vou fazer o projeto estrutural por que quero economizar". Essa frase é tão absurda que não vale a pena nem tentar entender sua origem, que é, com certeza, cultural.

O projeto estrutural sem dúvida fará com que você economize bastante na sua obra, além de garantir que não terão rachaduras, afinal não existe coisa pior que começarem a aparecer rachaduras na sua casa novinha!


"Faça um orçamento com a gente e descubra que um projeto bem elaborado não precisa ser caro!"

Equipe AGT Engenharia

Obra irregular perante ao CREA

O que acontece se eu construir uma obra irregular perante ao CREA?

Re:Obra irregular perante ao CREA

Bom, primeiramente você poderá ser multado e sua obra paralisada. Depois você vai ter prazo determinado para elaborar os projetos, que serão mais caros já que sua obra já estaria na metade do caminho. O projeto estrutural será o mais difícil, pois será necessária uma avaliação estrutural e, caso exista algum problema estrutural, você terá que desmanchar o que já fez.

Se você der sorte e nenhum fiscal do CREA bater na sua porta, no mínimo você terá com certeza problemas de planejamento com sua obra. Além disso poderão acontecer: rachaduras; faltar tomadas na cozinha ou nos quartos, necessárias ao seu estilo de vida; o esgoto poderá dar mau cheiro ou entupimentos; etc...

Enfim, a multa é o menor dos problemas em uma construção irregular!

"Faça um orçamento com a gente e descubra que um projeto bem elaborado não precisa ser caro!"

Equipe AGT Engenharia

Novo comentário

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!